quarta-feira, 30 de março de 2011

O filme da minha vida

A história da minha vida poderia ser resumida, como um filme.

Começo:

Nasci aprendi a me virar com o tempo comecei a levantar, com muito esforço dei meus primeiros passos, ouvi e prestei atenção a tudo em minha volta e então falei minhas primeiras palavras.

Cresci e tive que aprender mais, o que eu sabia não era suficiente para minha mente de criança, cheia de perguntas a ser respondida, fui à escola e conheci outras como eu com sede de estudar, com muitas dúvidas para ser tirada.

Meio:

Aprendi bastante coisa, minha coordenação motora estava ótima, já sabia ler e ainda sentia que precisava de mais conquistas e então cresci novamente e vi que não foi o suficiente tudo o que havia se passado, lutei para ser a melhor em tudo que fazia (natação, canto e poesia), me superava a cada dia, mais era inevitável crescer.

E então lá estava eu no último ano do ensino médio, tentando escolher que profissão seguir; mais um problema me impediu me esqueci de aprender a escolher o que eu queria; um só não era suficiente.

E Fim:

Agora paro pra pensar em mim daqui alguns anos, tudo o que fiz desde que nasci vai passar como um filme, e no fim nem todos irão ler os créditos finais.

Mais ainda assim fico na esperança de ser reconhecida, de agradar se não a todos a alguns com o filme da minha vida.


terça-feira, 22 de março de 2011

A beira da destruição


Nas ruas vazias e escuras esperava uma resposta, mais não sabia ao certo qual foi a pergunta, estava tão sonolenta, tão perdida, as lágrimas se confundiam com risos, o arrependimento e a satisfação, tinha tudo e um pouco mais transbordando do rio que a minha mente era naquele momento.
Continuei andando sem rumo por aquelas ruas desconhecidas, até que me sentir cansada o suficiente para me sentar ali mesmo perto da estrada, onde carros passavam depressa sem sequer me notar.
Ser notada era tudo o que queria, depois de perder um amor e uma amizade na mesma semana, no mesmo instante, meu coração ainda era frágil como o de uma menina, não conseguir suportar ver a minha melhor amiga traindo minha confiança, e o pior o amor da minha vida fazendo parte disso.
Decidir deixar de ser a garota tola, sem perceber que essa decisão tiraria toda a minha razão, me afundaria na solidão, e não ajudaria em nada a curar meu coração.
Estou sentada na beira da estrada, mal consigo ficar de pé, estou com mais bebida alcoólica do que meu sistema pode aguentar e com um cigarro na mão, tudo o que é necessário para levar a menina embora, agora ela está a beira da destruição, e de nada adiantou, porque seu coração agora sim está destruído, e tudo o que essa garota quer é voltar a ser aquela tola que tinha muitos amigos, as melhores notas da escola, os melhores pais do mundo, lágrimas e sorrisos que ela sabia de onde vinha.
Agora sei qual é a minha dúvida, como sair desse mar de alucinações e voltar para a realidade? Como encontrar o meu verdadeiro eu?


sábado, 12 de março de 2011

A consequência que veio para o bem



Ele era um típico garoto popular da escola, cursava o terceiro ano do ensino médio, era o melhor jogador do time de futebol, e sempre conseguia sair com todas as garotas que quisesse.

O estudo não era sua prioridade apesar de ter notas razoáveis, contava é claro com a ajuda de algum “nerd”, mais tinha sua participação em algumas notas, a aula de artes e de educação física ao menos tomava uma parte do seu tempo quando não estava dedicado a organizar festas para o fim de semana.

Festa, fim de semana, foi assim que tudo começou, para ser mais precisa no dia 18 de Abril ele conhece a garota que mudaria sua vida, diferente de todas as outras, um jeito único e especial; Estaria ele apaixonado por tal garota?

Difícil de responder, afinal uma noite não dá para definir se é ou não amor, principalmente guando a garota sai da sua casa no meio da noite sem dizer adeus, sem sequer deixar uma pista de onde estaria.

Sem entender muito o que havia acontecido, ele seguiu sua vida, de um jeito um pouco diferente do que era antes daquela noite.

As festas continuaram mais com convidados diferentes, a turma do colégio fora trocada pela turma do bar, a aula de artes por imensas tatuagens nos braços e nas costas, a aula de educação física trocada por longas corridas tentando fugir de algumas perseguições.

Meses depois a campainha da sua casa toca, ele levanta cambaleando do sofá e abre a porta, a tal garota que o deixará louco e perdido meses atrás aparece com uma criança nos braços para entregar-lhe o fruto daquela noite, “seu filho”.

Novamente ela vai embora sem deixar pistas, e aquele irresponsável rapaz de dezoito anos tem agora que tomar conta de uma criança, passado algumas semanas, ele decidiu o que fazer da vida.

Conseguiu um trabalho como tatuador, o salário era bom e dava para cuidar das necessidades do filho, a noite ia para escola, por sorte uma vizinha se ofereceu para cuidar do garoto enquanto ele estivesse fora, chegava todos os dias cansado, tomava um banho, e se deitava na cama com seu filho nos braços, a consequência que veio para o bem, que veio para transformá-lo em um homem responsável.